Cuidados Especiais

Avião– Passageiros especiais, como idosos, pessoas com problemas de saúde, portadores de deficiência física, gestantes e passageiros com crianças pequenas devem ser os primeiros a embarcar no avião.

Grávidas – As empresas aéreas exigem atestado médico de mulheres que estejam viajando até quatro semanas antes da data prevista para o parto ou que tenham complicações na gestação. O atestado deve ser emitido durante a semana que antecede o embarque.

Mesmo com autorização médica, as grávidas não devem viajar sete dias antes ou sete dias depois do parto. Também não é indicado que recém-nascidos embarquem na primeira semana de vida.

Crianças e adolescentes Crianças com menos de dois anos pagam apenas 10% da tarifa normal, mas devem viajar no colo do acompanhante. Passageiros com idade entre dois e 12 anos incompletos pagam 50% do valor da passagem de adulto, com direito a assento.

Em vôos nacionais, menores de 12 anos precisam de autorização judicial quando não estiverem acompanhados pelos pais ou responsáveis. A autorização não é exigida se a criança estiver junto de maiores de 21 anos com autorização dos responsáveis ou que sejam parentes próximos – irmãos, tios, avós e bisavós. Em geral, adolescentes de 12 a 18 anos com carteira de identidade ou certidão de nascimento podem viajar desacompanhados, mas a regra pode variar de acordo com o Juizado de Menores de cada área.

Em viagens internacionais, menores de 18 anos desacompanhados só podem viajar com autorização. Caso o menor esteja com apenas um dos pais, deve ter a autorização do outro. Crianças com menos de 12 anos ficam aos cuidados de funcionários da empresa aérea, tanto a bordo como em terra.

Deficientes físicos – Os portadores de deficiência física têm direito a assistência das companhias aéreas, aeroportos e empresas que prestam serviços auxiliares. Eles devem avisar com antecedência quais são suas necessidades e, obrigatoriamente, se precisam de algum cuidado ou atendimento especial.

O embarque de portadores de deficiência é feito sempre 20 minutos antes dos demais passageiros. Se necessário, eles podem usar suas próprias cadeiras de rodas para ir até o avião. Os aparelhos utilizados por deficientes físicos são considerados bagagem prioritária e podem ser levados dentro da cabine de passageiros gratuitamente.

O portador de deficiência geralmente pode decidir se precisa ou não de acompanhante, cuja presença só é exigida pela empresa quando o passageiro não for auto-suficiente. Neste caso, o acompanhante paga 20% do valor da tarifa.

Deficientes visuais – Deficientes visuais ou auditivos podem levar seus cães auxiliares, sem pagar nenhuma taxa extra, desde que o animal tenha um atestado de sanidade. O cão viaja na cabine de passageiros, no chão da aeronave, preso a uma coleira e com protetor de focinho.

Passageiros com problemas de saúde – Pessoas que precisam de atenção especial durante o vôo ou que devem viajar de maca só podem embarcar se estiverem acompanhados por um médico ou enfermeiro. A companhia aérea deve ser avisada com antecedência sobre a necessidade de macas, ambulâncias, cadeiras de rodas e atendimento especial.

Em casos de problemas de saúde que possam ser agravados durante o vôo ou de doenças contagiosas, o viajante tem de passar pelo setor médico da companhia, que determinará a viabilidade da viagem.

Antes da Viagem– O passageiro deve registrar os bens fabricados no exterior que estiver levando na viagem (como câmeras e filmadoras), mesmo se forem usados ou comprados no Brasil, para garantir que não pagará impostos no retorno ao Brasil. Equipamentos com garantia no exterior que estão sendo levados para trocas ou consertos também devem ser registrados. Normalmente, o registro é feito no aeroporto de embarque, por meio da Declaração de Saída Temporária (DST).

Se o viajante estiver levando mais de R$ 10 mil, ou o equivalente em outra moeda, ele deve fazer a Declaração de Porte de Valores (DPV) e apresentar o comprovante de aquisição regular dos recursos em local autorizado pelo Banco Central a operar com câmbio.

Livre de Impostos – O passageiro pode trazer produtos no valor de até US$ 500, ou o equivalente em outra moeda, em viagem aérea ou marítima e o equivalente a US$ 150 em viagem terrestre, fluvial ou lacustre, sem precisar pagar impostos. O mesmo vale para menores de idade, acompanhados ou não.

Esta cota de isenção só pode ser usada uma vez a cada 30 dias e é pessoal e intransferível. Nem pessoas da mesma família podem somar ou transferir suas cotas. Esta regra não se aplica a bagagens de tripulantes em serviço, diplomatas estrangeiros e de militares, transportadas em veículo militar.

Além disso, o passageiro pode ter em sua bagagem, identificada com a etiqueta da companhia: roupas, produtos de higiene e beleza e calçados – para uso próprio e em quantidade de acordo com a duração da viagem – livros, folhetos e periódicos em papel. As pessoas que passaram mais de um ano no exterior podem também trazer seus bens pessoais, domésticos e profissionais livres de impostos.

A bagagem despachada pelo correio ou como carga, ainda que venha no mesmo veículo que o passageiro, está sujeita a pagar imposto e não tem direito à cota de isenção. A exceção é o transporte de roupas, objetos pessoais usados, livros, folhetos e periódicos, que estão isentos de impostos.

Duty e Free Shop – O viajante ainda tem direito de gastar até US$ 500 na duty free shop (loja franca ou livre de impostos) do aeroporto onde a bagagem será examinada pela alfândega, no desembarque. Se a compra for feita em loja franca do exterior ou de outro aeroporto brasileiro em que o passageiro não vá passar pela alfândega, os produtos não estão liberados do pagamento de impostos. Existem algumas restrições de quantidade para alguns produtos:

– 24 garrafas de bebidas alcoólicas e no máximo 12 do mesmo tipo
– 20 maços de cigarros de fabricação estrangeira
– 25 unidades de charutos ou cigarilhas
– 250 g de fumo preparado para cachimbo
– 10 unidades de cosméticos
– 3 relógios, brinquedos, jogos ou instrumentos elétricos ou eletrônicos

Excesso de Valor – Quando o valor dos produtos for maior que a cota de isenção, o viajante está sujeito ao pagamento do imposto de importação, que é de 50% sobre o valor da fatura ou nota da compra. Na falta ou inexatidão destes comprovantes, o valor de base para a cobrança do imposto será estabelecido pela autoridade da alfândega.

Para ter seus bens liberados, o passageiro deve pagar o imposto através do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), em qualquer agência bancária ou caixas eletrônicos que tenham este serviço. Se não for possível fazer o pagamento na hora do desembarque, os produtos que precisam de imposto serão retidos pela alfândega e o proprietário ficará com um termo de retenção e guarda dos bens. A liberação só será feita com a apresentação do termo de retenção e do comprovante de pagamento.

O que não pode vir com a bagagem – Alguns bens não podem ser considerados bagagem: objetos para revenda ou uso industrial, automóveis, motocicletas, motonetas, bicicletas com motor, traillers, outros veículos automotores terrestres, aeronaves, embarcações de todo tipo, motos aquáticas e similares e motores para embarcações.

É proibido – O viajante não pode trazer cigarros e bebidas fabricados no Brasil, de venda exclusiva no exterior, além de drogas e entorpecentes. Menores de 18 anos não podem ter bebidas alcoólicas, fumo, cigarros e semelhantes em sua bagagem. Estes produtos serão apreendidos pela alfândega e a pessoa ficará sujeita a representação fiscal para fins penais.

Bagagem Acompanhada – Todo viajante vindo do exterior deve apresentar a Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA) na sua entrada no Brasil. A declaração é individual e o formulário é fornecido pelo transportador, agência de viagem ou obtido na alfândega. As compras feitas na duty free shop do local onde a bagagem será examinada não devem ser relacionadas na DBA.

Menores de 16 anos desacompanhados não precisam apresentar a DBA, mas continuam sujeitos à verificação da alfândega. Se estiverem acompanhados, o pai ou responsável que deve fazer a declaração.

Quando as informações do DBA forem falsas ou inexatas será cobrada uma multa de 50% sobre o valor dos produtos que excederem a cota de isenção.

Bens a Declarar – Todo viajante vindo do exterior deve apresentar a Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA) na sua entrada no Brasil. A declaração é individual e o formulário é fornecido pelo transportador, agência de viagem ou obtido na alfândega. As compras feitas na duty free shop do local onde a bagagem será examinada não devem ser relacionadas na DBA.

Menores de 16 anos desacompanhados não precisam apresentar a DBA, mas continuam sujeitos à verificação da alfândega. Se estiverem acompanhados, o pai ou responsável que deve fazer a declaração.

Quando as informações do DBA forem falsas ou inexatas será cobrada uma multa de 50% sobre o valor dos produtos que excederem a cota de isenção.

Bagagem Extraviada – No caso de bagagem extraviada, além de registrar a ocorrência na companhia, o viajante tem de confirmar o registro na alfândega, para garantir o direito à cota de isenção.

Na época de vestibular, o turismo aparece como primeira opção para aqueles que:

  • Odeiam Matemática (sim, porque na inocência acham que nunca vão usar números ou fazer contas);
  • Adoram viajar (porque nem imaginam que vão planejar a viagem dos outros e não a sua);
  • Não gostam muito de estudar (mal sabem que vão ter que ter na ponta da língua todas as capitais do mundo, aprender história da arte, entender de vegetação, clima, fatos históricos, cultura, lazer, ler muito pra se manter sempre atualizado, aprender um ou mais idiomas, saber legislação, psicologia, economia, estatística, política, administração, transportes, leis, e acima de tudo: gostar muito, mas muito mesmo de estudar sempre!!!

  É ou não é uma pegadinha??

Não importa se você está em busca de esportes radicais, ou em busca de tranqüilidade e descanso. O Tem que Conhecer dessa semana chega até São Tomé das letras em Minas Gerais, com seu clima típico de montanha, a pureza do ar e todo o perfume que emana da natureza e nos envolvem, são 360 graus de visão para um mundo de grutas, rios, cachoeiras, matas, pássaros e animais silvestres.
Estância Climática das mais favorecidas, tanto é atraente para aqueles que buscam o aconchego e a tranqüilidade de um merecido descanso do dia a dia, como para aqueles que querem a radicalidade de um profundo mergulho no seio da mãe natureza. Sua formação topográfica é perfeita para os esportes mais radicais, que já tem lugar garantido no roteiro turístico da cidade.
O artesanato também é único. Talhado com a matéria prima da região, a pedra sabão, internacionalmente reconhecido pela sua qualidade e originalidade. Suas festas são as mais concorridas da região e seu folclore representa um raro momento da expressão de união e fé populares culminando com a Folia de Reis, numa semana inteira de festejos, onde vários grupos de Folia devidamente paramentados revezam-se em danças e músicas.
Há muito que falar sobre São Thomé das Letras, mas, o melhor é vivê-la. Místicos e ufólogos, artistas e pesquisadores do mundo inteiro ou pessoas que desejam apenas sentir algo mais, vem a São Thomé das Letras e nunca mais esquecem. Muitas associações esotéricas, ufológicas e místicas, sediadas no município que é considerado uma das cidades sagradas do planeta e destinada a ser um dos redutos da nova era. E assim vai tecendo sua história e suas lendas e a gente que chega, que fica ou que passa, integra e valoriza esse imenso universo histórico, criando e ajudando a percorrer os caminhos que conduzem ao futuro de São Thomé das Letras.
A lenda que deu origem a toda a história da cidade de São Thomé das Letras aconteceu em uma gruta.
“João Antão escravo da Fazenda Campo Alegre, cujo romance com a irmã de seu senhor, o Capitão João Francisco Junqueira, havia sido descoberto, cansado dos maus tratos, refugiou-se em uma gruta no alto da serra, onde passou a viver da pesca, frutos e raízes da região.
Um dia um senhor de vestes brancas apareceu para o escravo lhe entregando um bilhete e dizendo que, se ele o entregasse ao capitão, este o perdoaria.
Ao ler o bilhete, o Capitão lhe ordenou que o levasse até a gruta, onde encontraram uma imagem de São Tomé entalhada em madeira.
João Francisco, homem profundamente religioso recolheu a imagem e a levou para casa. A imagem sumiu e reapareceu na gruta por várias vezes. Acreditando ser um milagre, o Capitão mandou erguer uma capela no local, onde , em 1785, foi construída a Igreja Matriz, originando assim o povoado; dizem que o filho do Capitão, Gabriel Francisco Junqueira, o Barão de Alfenas, título este concedido por D. Pedro II, foi sepultado debaixo do altar da igreja.

A igreja, construída em estilo barroco, abriga em sua nave principal a pintura do mestre Joaquim José da Natividade, altares em estilo rococó e várias imagens de madeira do século XVIII.
A origem do nome da cidade deve-se à aparição do santo e às inscrições rupestres encontradas na entrada da gruta que não se sabe terem sido feitas pelos índios cataguases antigos moradores da região ou se são palavras deixadas pelo santo.
Há ótimas pousadas e restaurantes, mas o ideal é reservar com um mês de antecedência.
No mais, é relaxar e aproveitar!

Selma Cabral 
O Turismo é como se fosse um grande “Quebra cabeças”, pois para se desenvolver é preciso encaixar todas as peças: recursos naturais, culturais, infra estrutura básica e infra estrutura turística, assim temos um cenário onde acontece todas as relações entre o mercado turístico local e o turista. 
Em constante movimento porque interage direta e indiretamente com mais de 50 atividades econômicas desde a produção agrícola, pecuária, extrativismo mineral, indústria e comércio em geral, Instituições financeiras, empresas de assessoria e consultoria, educação e treinamento, administração pública, além é claro, de forma mais direta e objetiva o chamado “Trade Turístico”, que muita gente deve tá se perguntando: O que vem a ser isso:
_O Trade Turístico é formado pelos meios de hospedagem, agências de viagens, locadoras de veículos, organizadores de eventos, bares e restaurantes, guias de turismo, entre outras atividades.
E também, como não podia deixar de ser, o turismo é um importante gerador de empregos.
Deu pra entender o quanto complexa é a atividade turística em todo seu desenvolvimento?
Viram porque é uma atividade em constante movimento?
Então  mexam – se!


Quando pensamos em um Cruzeiro a primeira coisa que vem a nossa mente é uma viagem romântica, cheia de glamour e logo nos lembramos das cenas memoráveis dos filmes, das escadarias, das cabines, dos jantares e das festas.
A segunda é o que vou levar?
Foi-se o tempo em que sonhar com um cruzeiro era para poucos, atualmente, todas as pessoas podem viajar de navio, o que não falta são opções que cabe em todos os bolsos, dos mais luxuosos aos mais simples. Isso se deve aos preços mais acessíveis com a valorização do real e baixa do dólar, as facilidades no pagamento. O importante é escolher de acordo com o gosto e o tipo de cruzeiro que se pretende.
Para marinheiros de primeira viagem o ideal é começar com um mini-cruzeiro para acostumar com o navio e ver a sua reação, mas, se você não tem problemas com balanço do mar, pode arriscar um de sete noites ou mais.
Cada navio tem a sua programação, jantares especiais, festas temáticas que requer trajes mais formais, mas se você é a da turma da piscina, do hambúrguer e batata frita e não gosta de formalidades, pode ficar á vontade, dá pra fazer tudo isso.
Pra quem sonha com o glamour, jantares especiais, e toda aquela formalidade, é só aproveitar, aliás, acho maravilhoso, curto tudo isso. Uma das coisas de que mais gosto é experimentar um pouco da culinária de diversos lugares, me acostumar com os sabores diferentes dos temperos e ervas.
Navio é lugar ideal pra viagens com a família toda, as crianças têm tratamento especial com espaço e monitores só pra elas, cardápio especial, os pais ficam livres pra aproveitar a viagem. Dá até pra casar, fazer a festa de quinze anos, formatura e o que mais a imaginação mandar.
Com oferta imensa de navios em nossa costa e pacotes especiais é só ir a uma Agência de Viagem especializada e escolher o pacote e roteiro mais adequado a você e sua família.

Boa Viagem!

Todo turista que viaja independente do motivo, espera que sua estada na localidade visitada seja a melhor possível.
Não se pode esquecer que o Turismo se efetive graças à “gente atendendo gente”, por mais que haja novas tecnologias, processos informatizados e mecânicos, sempre se está em contato com alguém. Seja no atendimento em uma agência de viagens, no táxi, no balcão de check-in, no serviço de bordo, no desembarque, no traslado ao hotel, na recepção do hotel, na arrumação dos quartos, nos passeios, no balcão de informações, nas compras, no restaurante, haverá sempre alguém para atender ao turista.
Este sem dúvida é o mais crítico de toda atividade turística, pois de nada adianta uma localidade possuir belos hotéis, se o atendimento não for cortês, possuir belos atrativos e conviver com um guia de turismo sem paciência, possibilitar a realização de compras no comércio local e o turista encontrarem uma balconista desatenta, realizar campanhas de incentivo ao turismo e abrigar uma população indiferente e descontente com os visitantes.
Naturalmente outras situações poderiam ser evidenciadas. Assim torna-se fundamental que a localidade esteja preparada para receber e oferecer a melhor condição possível para os visitantes e turistas, pois com certeza, ao ser bem atendido ele estará propagando sua experiência a amigos e familiares, destacando os momentos agradáveis que vivenciou. Entretanto, caso a sua experiência não seja agradável, este mesmo visitante ou turista estará disposto a descrever com detalhes os infortúnios ocorridos em sua estada.
Como realizar um bom atendimento a visitantes e turistas em localidades turísticas?
Em primeiro lugar o “trade” e os demais envolvidos com a atividade devem identificar profissionais habilitados para a recepção e atendimento ao turista, daí a importância do treinamento e qualificação, pois trabalhar com Turismo “é coisa de profissional”.
Para tanto o profissional deve ser:
  • Ser atencioso e cortês para ouvir as dúvidas e sugestões apresentadas. A educação e cordialidade são fundamentais para o bom atendimento.
  • Ser preciso e claro nas informações prestadas, não se deve desmerecer as informações solicitadas e, tampouco, transmitir informações equivocadas, procure informar corretamente, caso contrário busque auxílio de outra pessoa.
  • Conhecer a localidade e os atrativos que possui, de maneira a transmitir aos turistas informações preciosas e motivadoras para sua permanência.
 

Portanto, o bom atendimento prestado ao visitante e ao turista propicia uma melhor estada e compreensão da história, da cultura e dos costumes da localidade visitada, que somados a infra-estrutura básica (água, luz, telefonia, saneamento), a infra-estrutura turística (meios de hospedagem, alimentação, entretenimento, compras, informação), e aos atrativos (naturais, culturais, de negócios), compõem um cenário perfeito para o desenvolvimento da atividade turística.

 

Férias!!!, que tal pegar a família e fazer um belo passeio de bicicleta… sim, de bicicleta porque não?
É bom para a saúde, não polui e o meio ambiente agradece, existem várias cidades com ciclovias em várias partes do mundo.
Atualmente andar de bicicleta não é coisa para quem não tem carro e sim, sinônimo de gente descolada, de bem com a vida e preocupada com o futuro do planeta.
Em várias cidades da Europa, Estados Unidos e Japão, já existem vias exclusivas para bicicletas há anos e no Brasil, também encontramos ciclovias em muitas cidades como, por exemplo, São Paulo, Porto Alegre, Curitiba e outras…
Mas não vá pensando que é só comprar uma e sair pedalando por aí, tem que ter cuidado na hora compra e escolher um modelo adequado, usar equipamentos de segurança. A seguir, alguns cuidados para aproveitar e aderir de vez ao uso da bicicleta seja como meio de transporte ou simplesmente para passear.

Dicas de Segurança:

1 – Evite andar na contramão e nas calçadas;
2 – Jamais circule no meio do trânsito sem ter placas de reflexo em sua bike;
3 – Prefira as roupas claras para pedalar, elas facilitam a visibilidade dos motoristas;
4 – Utilize os equipamentos de segurança como capacete e luvas que ajudam a proteger nos casos de quedas e óculos que lhe protejam, não apenas dos raios solares, mas da poeira e insetos;
5 – Fique atento com as portas de carros que são abertas de repente nas ruas, bem como com as motos que circulam em qualquer espacinho;
6 – Preste atenção ao passar próximo às garagens, muitos acidentes acontecem, pois nem o ciclista, nem o motorista do carro estão atentos à marcha ré;
7 – Evite se espremer entre os carros e o meio-feio ao parar em um semáforo;
8 – Seja educado, sempre que alguém lhe ceder passagem ou lhe beneficiar no trânsito, agradeça e espalhe atitudes como esta;
9 – Procure não fazer zig-zag no meio do trânsito e sinalize as suas intenções;
10 – Instale espelhos em sua bike para que você possa visualizar tudo o que acontece ao seu redor e buzina para sinalizar ou alertar pedestres e motoristas.  

As dez melhores:
Uma pesquisa do site Askmen revelou quais são as dez cidades mais bem preparadas para se pedalar. A seguir o Top 10.
1º. Amsterdã(Holanda)
2º. Copenhagen (Dinamarca)
3º. Bogotá (Colômbia)
4º. Curitiba (Brasil)
5º. Montreal (Canadá)
6º. Portland (Estados Unidos)
7º. Basiléia (Suíça)
8º. Barcelona (Espanha)
9º. Pequim (China)
10º. Trondheim (Noruega).

Bom passeio!!!!

Eu adoro ler, sempre fui apaixonada por livros, talvez pra mim a leitura sempre fosse uma maneira de fugir da realidade, de conhecer outras pessoas, lugares, de sonhar com algo melhor ou uma vida melhor.
O livro nos proporciona momentos de imenso prazer, onde nos deixamos levar pela história dos personagens. Eu não tenho nem idéia de quantos lugares conheci através da leitura.
Quem nunca leu um romance e se imaginou no lugar da mocinha? Aposto que todas nós mulheres, sempre sonhamos com um príncipe encantado, nem que seja dos romances.
Dá pra conhecer lugares que nunca pensamos através da leitura, países diferentes, como as pessoas vivem seus hábitos, somente lendo um livro que pode ser de história, policial, ficção, romance…
Costumo ter um estilo pra cada momento da minha vida, mas gosto de manusear o livro, ver as capas, marcar o meu capítulo favorito,  fazer as minhas anotações. E guardá-las para ler depois de algum tempo e sentir as mesmas emoções  ou não.
Através da leitura eu já viajei muitas milhas e conheci todos os lugares do  mundo e posso garantir que não tem melhor passatempo que ler.

Eu recomendo, experimente.
E começou mais um temporada de Cruzeiros Marítimos. Para  muitos o sonho de viajar de navio acaba se transformando em pesadelo: O Transito fica caótico, a chegada ao terminal então, é uma loucura, filas de embarque e muita confusão.
Será que nessa temporada vamos ter a organização tão desejada? Ou vamos ter um replay de todas as outras?
Pelo jeito o caos continua.  Mas existem meios para tornar as coisas um pouco menos caóticas:
Por exemplo: se todas as agências não chegassem ao mesmo tempo no terminal, ou orientasse melhor os seus passageiros que não precisa chegar ao terminar as sete da manhã, que primeiro tem que esperar o desembarque e só aí começa um novo embarque, com certeza, já ia dar para melhorar um pouco.
O Concais até tenta orientar as pessoas a irem depois das 11horas, mas as Agências de Viagem ao contrário, avisa a todos para chegarem cedo, talvez para aproveitar o mesmo transporte para trazer e já levar os cruzeiristas que estão desembarcando e aí que está o problema, é muita gente no mesmo lugar ao mesmo tempo, será que o passageiro se incomodaria de pagar um pouco mais pelo transporte para ter um mínimo de conforto?
O navio não vai sair sem os passageiros, a não ser que ele chegue às cinco da tarde…..
Com um pouco de organização e bom senso (o que nem sempre todos têm) dá ter uma temporada sem estresse e realizar a viagem dos sonhos.

Mas vamos acompanhar a temporada com muitas dicas de como não fazer do seu cruzeiro um pesadelo e sim realmente o Cruzeiro dos sonhos!
É só aguardar e conferir!
    
Selma Cabral

Contato

Praça Mauá – 16A

Santos/SP – Brasil

13-9-97365637

Newsletter

©Turismo & Ideias – todos os direitos reservados.

Newsletter

Contato

Praça Mauá – 16A

Santos/SP – Brasil

13-9-97365637

©Turismo & Ideias – todos os direitos reservados.