turismo negócio

turismo negócio

 

Outro dia me perguntaram por que eu fiz faculdade de Turismo. O que me influenciou na escolha. Claro que dei uma viajada no tempo. Na verdade começou muito antes de saber o que era turismo, para que servia e que ia muito além de viajar. Minha primeira paixão foi a Bolsa Oficial do Café, devia ter uns 13 nos quando me aventurei a ir na “ Cidade”, sim era como chamávamos, para pesquisar sobre o café . Eu achei o Centro Histórico de Santos tão lindo, o prédio da Bolsa, e fui tão bem recebida, bem atendida, conseguir muitas amostras de grãos de café de vários tipos, e tudo com muita explicação para enriquecer meu trabalho. Para uma menina de 13 anos foi um sonho e isso me marcou até hoje, sempre que vou ao Centro, vou tomar um café na Bolsa. Será que já era um sinal?

Como eu lia muito, e sobre vários assuntos, comecei ler uns romances que a personagem principal, não sei porque na maioria das vezes era dona de Agência de Viagens e viaja para  conhecer novos lugares, claro que todos lindos e exuberantes para fazer novos roteiros para os clientes. Eu que não conhecia nenhum lugar diferente achava o máximo e viajava através dos livros.

Mas a vida seguiu seu rumo, fui trabalhar em outra área, casei , tive filhos e resolvi fazer uma faculdade, imagina a loucura ter que além de trabalhar, cuidar de casa, filhos e ainda encaixar uma faculdade no meio, resolvi fazer turismo, não porque ainda me lembrava do sonho adolescente e sim porque eram só três anos. Mas, quando fui fazer a matrícula, nesse exato momento, descobri que o curso de turismo, ia ser de quatro anos. Nem acreditei, mas, como não sou de desistir segui o plano. E eu adorei, simplesmente me apaixonei pelo Turismo, as várias áreas que eu podia explorar, como planejar, como receber o turista numa cidade.

E assim já foram 17 anos nessa área que me encantou, fiz praticamente tudo  que envolve o Turismo e continuo apaixonada e sei que o Turismo pode mudar a história de uma localidade, envolver moradores e receber bem seus visitantes, gerar empregos. Ainda tenho esperança de que um dia, seremos profissionais mais valorizados, e ocupando lugares estratégicos em prefeituras, secretarias e que todas as pessoas saibam o que é ser um Turismólogo, porque a maioria das vezes parece que falamos um palavrão

Selma Cabral

Últimos posts por Selma Cabral (exibir todos)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *