Panamá

Mais conhecido pelo canal que empresta nome, o Panamá é um pequeno país cujo maior patrimônio é sua geografia particularmente privilegiada: está no umbigo das Américas, liga o norte e o sul do continente, e permite a passagem das águas mornas do Caribe para o mar bravo do Pacífico. 
Muito falado atualmente pelo boom imobiliário e a construções de grandes prédios, o que vem atraindo grandes investimentos no setor,  é hoje o país mais internacionalizado da América Latina, adota o dólar como moeda corrente, o inglês é falado nas ruas e tem gente de todo o mundo chegando e partindo de seus portos, rodovias e aeroportos. 


É também um dos países mais prósperos e que mais cresce no sofrido subcontinente latino-americano. Tem apenas 2,8 milhões de habitantes.


Caribe 

O país aposta agora em seu potencial turístico, no ecoturismo e na prática de esportes radicais como fonte de renda. Entre as atrações, o Panamá dispõe as águas mornas e transparentes do Mar do Caribe, paraíso dos mergulhadores, cruzeiros luxuosos e dos esportes aquáticos. 

As praias do Caribe têm as areias mais brancas e os resorts mais procurados do país. Portobello e Isla Grande são as mais famosas. A mais procurada para o surfe é Santa Catalina. 

Turismo cinco estrelas 

Para explorar o potencial do turismo, o Panamá colocou à disposição a infraestrutura herdada durante os 85 anos de dominação norte-americana e transformou as vilas militares em hotéis de alto padrão. 

Como a antiga Escola das Américas, onde os ditadores latino-americanos recebiam treinamento e que hoje abriga o Meliá de Colón. Outra atração,  é o hotel Gamboa Rain Forest, que fica dentro do parque nacional Soberania, de 5.500 hectares, 340 deles ocupados pelo hotel, no qual foram investidos US$ 25 milhões. 

Em meio a uma floresta tropical que abriga mais de 700 espécies de pássaros, o hotel transforma os índios em atração: os turistas podem visitar uma aldeia e assistir demonstrações dos costumes e rituais das tribos locais. 

O governo do Panamá quer atrair 2 milhões de visitantes anuais, ou cerca de 650 navios de cruzeiro aos quatro novos terminais instalados nas costas do Atlântico e do Pacífico, que custaram cerca de US$ 60 milhões. 

Além da visita a uma reserva indígena, o país conta com uma natureza exuberante, compras em lojas “duty-free”, o passeio em uma ferrovia do século 19, sem falar no próprio Canal, cuja visita é uma experiência de interesse turístico e cultural à parte. 

Visita ao Canal 

Considerado pelos panamenhos como uma das maravilhas do mundo, o Canal do Panamá é uma obra de engenharia que impressiona tanto pela extensão, como pelo seu mecanismo de funcionamento. Em uma rápida visita, não se demora em descobrir porque o imenso projeto demorou dez anos para ser concluído pelos americanos. 


A cada ano, cerca de mil embarcações cruzam seus 79,6 km de extensão, que possuem três sistemas de eclusas: Gatún, Pedro Miguel e Miraflores. 

As eclusas servem para subir ou descer em etapas os navios, já que o canal está 26 metros acima do nível do mar. Na eclusa de Miraflores, em área reservada para visitantes, os turistas têm a oportunidade de ver de perto os enormes transatlânticos em operação.  
Destaques de Pontos Turísticos do Panamá

– Distrito Histórico do Panamá
– Sítio Arqueológico de Panamá Velho (Patrimônio Mundial – UNESCO)
– Parque Recreativo Omar Torrijos
– Parque Natural Metropolitano de Panamá
– Parque Nacional Soberanía
– Parque Municipal Summit (Zoológico)
– Museu de Arte Contemporânea
– Museu do Canal Interoceânico
– Museu Antropológico
– Centro de Ciências e Artes
– Teatro Nacional
– Teatro Balboa
– Hipódromo Presidente Remón
– Palácio Presidencial
– Catedral Metropolitana do Panamá
– Biblioteca Nacional
– Museu de Panamá La Vieja
– Teatro Abba
– Monumento à Pablo Arosemena
– Praça de França
– Canal do Panamá.

Selma Cabral
0 0 vote
Avalie este artigo!
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Scroll to top
0
Por favor, comente.x
()
x