Sudeste é o principal emissor e receptor de turistas do país:
As cidades de São Paulo e Rio de Janeiro são os destinos mais visitados do Brasil.
Os quatro estados do Sudeste são os que mais enviam e recebem visitantes no país.  A região participa com 40,8% do emissivo e 36,5% do receptivo no universo das 191 milhões de viagens domésticas realizadas em 2011.  Os dados são do Estudo da Demanda Turística Doméstica no Brasil, realizada pelo Ministério do Turismo em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Os turistas do Sudeste têm como destino preferencial os próprios estados da região. São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo recebem 29% do contingente de visitantes locais.   A segunda região de destino para este grupo é o Nordeste, que recebe 5,2% do fluxo, seguido do Sul do país, com 3,4%.  O Centro-Oeste, com 2,8%, e o Norte, com 0,4%, são os que menos recebem turistas da região Sudeste.

Além do próprio Sudeste, a região que mais envia turistas para os quatro estados são o Nordeste e o Sul, empatados com 2,4% do total.  Em seguida, aparece o Centro-Oeste, com 2% do emissivo, e o Norte, com 0,6%.

“A pesquisa demonstra que, no universo das viagens domésticas, predominam as viagens de curta distância”, explica o diretor de Estudos e Pesquisas do Ministério do Turismo, José Francisco Salles Lopes. Segundo ele, 73% dos fluxos ocorrem dentro das próprias regiões e 51% dentro dos próprios estados.

A região Sudeste abriga as duas principais cidades-destino do Brasil: São Paulo (SP), em primeiro lugar, e Rio de Janeiro (RJ), em segundo. Belo Horizonte (MG) aparece na décima posição no ranking do Ministério do Turismo.

Participação do turismo no PIB da Região Sul é a 2ª maior do país.
Turismo é responsável por 4,9% do PIB da região Sul, atrás do Nordeste (9,8%) e à frente do Sudeste (2,7%).
A receita do turismo doméstico nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná injetou R$ 26,24 milhões no Produto Interno Bruto (PIB) da Região Sul em 2009. A relação consumo turístico/PIB, na região, é a segunda mais alta do país: 4,9%. O líder é o Nordeste, com 9,8%, e a terceira maior fatia é do Sudeste (2,7%).

Os dados estão no Estudo da Demanda Turística Doméstica no Brasil 2012, encomendado pelo Ministério do Turismo à Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A região Sul também tem dois dos dez destinos mais procurados em viagens internas: Curitiba (PR), em 8º lugar, e Florianópolis (SC), que ocupa a 9ª posição.

DESTAQUES

O Rio Grande do Sul está entre os cinco principais estados emissores de turistas para o país. Junto com São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia, o grupo representa mais de 50% do emissivo turístico doméstico e quase 50% do receptivo. Acrescentando-se Paraná, Santa Catarina, Pernambuco e Goiás, chega-se à marca de 70% do emissivo e do receptivo nacionais.

Em matéria de número de visitantes, o Sul é a terceira mais importante região receptora de turistas do Brasil, recebendo 18,5% dos viajantes brasileiros. A região também responde por 17,4% do fluxo de gastos e receitas turísticas.

Os itens mais bem avaliados por turistas nacionais que visitaram os estados sulistas foram agências de viagens (98% de aprovação), serviços de hospedagem (94,6%) e restaurantes/gastronomia (90,9%).

O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem é um passo importante para o avanço do turismo nacional. Você sabe que requisitos um hotel deve atender para solicitar as estrelas?

 

O Ministério do Turismo lançou oficialmente na última semana o Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem – SBClass. A iniciativa é uma parceria com o Inmetro e autoriza o uso de estrelas para sete tipos de empreendimentos: hotel, hotel fazenda, cama e café, resort, hotel histórico, pousada e flat/apart-hotel. Eles devem atender determinados requisitos para adquirir de uma a cinco estrelas, de acordo com as condições de infraestrutura, equipamentos, serviços oferecidos aos hóspedes e práticas de sustentabilidade.
Um empreendimento é considerado hotel quando possui serviço de recepção e alojamento temporário, ofertado em unidades individuais e de uso exclusivo dos hóspedes, mediante cobrança de diária. De acordo com a última Pesquisa de Serviços de Hospedagem feita pelo IBGE, são cerca de 3.435 hotéis nas regiões metropolitanas das capitais do país. A expectativa é que este seja o meio de hospedagem mais utilizado pelos turistas durante a Copa do Mundo da FIFA 2014.
De acordo com o SBClass, um hotel poderá obter uma estrela quando disponibilizar serviço de recepção aberto durante 12h e disponível 24h por telefone, além de serviços de café da manhã, guarda de valores e monitoramento das expectativas e impressões do hóspede. Deverá apresentar também medidas permanentes para redução de consumo de energia elétrica e água.
Para conseguir a segunda estrela, os hotéis devem adicionar sala de estar com televisão, área útil dentro do quarto e disponibilidade para pagamento com cartão de crédito ou débito. A terceira estrela exige o serviço de recepção aberto por 18h; estacionamento; restaurante; serviço de lavanderia; climatização e televisão com canal por assinatura em todos os quartos; acesso à internet nas áreas sociais e nos quartos.
Em estabelecimentos com quatro estrelas, é necessário que o serviço de recepção esteja aberto por 24h. Facilidades como manobristas, bar e serviço à la carte no restaurante também são necessárias. O hotel precisa oferecer ainda um mínimo de três serviços “especiais”, como salão de beleza, venda de jornais/revistas, farmácia e baby sitter. Nos quartos, mini refrigeradores e mesa de trabalho também são exigências.
A quinta estrela será a marca de um hotel que atender aos requisitos acima – e oferecer também salão de eventos e serviço de guest relation/concierge (ponto de informação ao cliente). Além disso, deverá dispor de seis serviços “especiais”, restaurante com comidas vegetarianas e dietas especiais e roupões e chinelos em todos os quartos.

O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem é um passo importante para o avanço do turismo nacional. Você sabe que requisitos um hotel deve atender para solicitar as estrelas?

 

Chegou a hora de arrumar as malas e partir para aquele lugar aconchegante – sem muito barulho, perto da natureza, um verdadeiro convite para o descanso. A categoria Hotel Fazenda é uma das listadas pelo Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem (SBClass) com condições para solicitar a simbologia de estrelas nos empreendimentos. Localizado no meio rural, dotado de exploração agropecuária e com entretenimento, o meio de hospedagem pode ter de uma a cinco estrelas.
Com uma estrela, o hotel fazenda deve ter serviço de recepção aberto por 12h e acessível durante 24h. Área de estacionamento, restaurante, troca de roupas de cama e banho também são necessários. A cultura do campo está presente: instalações para animais, pomar, horta e flores devem fazer parte da estadia do turista, além de geração de trabalho e renda para a comunidade local. Medidas sustentáveis são requisitos imprescindíveis, como redução do consumo de energia elétrica e de água; gerenciamento de resíduos sólidos, com foco na redução, reuso e reciclagem.
Um empreendimento com duas estrelas deve ter um serviço de alimentação completo, com disponibilidade para café da manhã, almoço e jantar. Pagamento com cartão de crédito ou débito também podem ser cobrados pelo visitante. Com três estrelas, é necessário que o hotel fazenda conte com bar e serviço de guarda dos valores dos hóspedes. Facilidades para bebês – como cadeirinhas e aquecedor de mamadeira e comida – e berço a pedido também são itens obrigatórios. A troca de roupa passa a ser diária.
Uma estrela a mais significa manter todos estes requisitos e oferecer um serviço de recepção 24h. Lavanderia e room service são obrigatórios por 12h. Nos quartos, itens devem observados, como televisão e minirrefrigeradores e, nas áreas sociais, acesso à internet.
O meio de hospedagem deve contar com piscina, salão de jogos e estrutura esportiva, além de trilhas para caminhas ou observação de pássaros. Pelo menos um dos seguintes entretenimentos deve ser oferecido: cavalgada, passeios de carroça, ciclismo, observação da fauna e flora, participação em colheitas, ordenhas, trato de animais.
 
A quinta estrela será estampada pelo hotel fazenda que oferecer facilidades como serviço à la carte no restaurante; sala de estar com televisão; espaço para leitura; preparação de comidas especiais (dietas, vegetarianas, etc). As camas devem conter colchões com dimensões superiores ao padrão nacional, e secador de cabelo à disposição. É necessário salão e serviço para eventos, além de instalações para recreação de crianças.
O SBClass é uma parceria do Ministério do Turismo com o Inmetro e autoriza o uso de estrelas para sete tipos de empreendimentos: hotel, hotel fazenda, cama e café, resort, hotel histórico, pousada e flat/apart-hotel. Eles devem atender determinados requisitos para adquirir de uma a cinco estrelas, de acordo com as condições de infraestrutura, equipamentos, serviços oferecidos aos hóspedes e práticas de sustentabilidade.

O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem é um passo importante para o avanço do turismo nacional. Você sabe que requisitos um hotel histórico deve atender para solicitar as estrelas?
Parte inferior do formulário
O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem (SBClass) foi lançado pelo Ministério do Turismo no fim do último mês. Uma das categorias que podem solicitar o uso de estrelas é a de hotel histórico – um empreendimento com edificação preservada em sua forma original, restaurada ou que tenha sido palco de fatos histórico-culturais de importância. O reconhecimento deve ser formal por parte do estado brasileiro, ou informal, com base no conhecimento popular ou em estudos acadêmicos.
O hotel histórico pode receber de três a cinco estrelas. Comuns a todos, televisão e mini refrigerador em 100% dos quartos e medidas permanentes para a geração de trabalho e renda para a comunidade local. Para receber quatro estrelas, o estabelecimento deve adicionar serviços como o de lavanderia, canais de TV por assinatura, secador de cabelo e café da manhã nas habitações, restaurante e facilidades para bebês.
Para solicitar a quinta estrela, o hotel histórico deve oferecer ao cliente alguns diferenciais como: serviço de guest relation/concierge; serviço de guarda dos valores dos hóspedes e opção à la carte no restaurante; manobrista 24h e área de estacionamento exclusivo.
De acordo com a Pesquisa de Serviços de Hospedagem (PSH), divulgada pelo IBGE em abril deste ano, existem 7.479 mil meios de hospedagem nas capitais das 27 unidades federativas, regiões metropolitanas e regiões integradas de desenvolvimento – RIDE. Juntos, eles têm capacidade para hospedar 741.303 pessoas. 

Os Estados Unidos vão receber 316 mil turistas brasileiros a mais todos os anos se o Brasil for incluído no programa de dispensa de visto.

Esse é o cálculo da US Travel Association, entidade que representa empresas de turismo norte-americanas e faz lobby pela dispensa do visto para os brasileiros.

A associação faz a estimativa com base no aumento no fluxo de turistas de outros países que já foram incluídos no programa de dispensa de visto para entrar no país.

O número de turistas brasileiros nos Estados Unidos deve chegar a 1,8 milhão neste ano, uma alta de 18% em relação a 2011, de acordo com o Departamento de Comércio dos Estados Unidos.

Segundo o governo norte-americano, a espera para se marcar a entrevista do visto americano no Brasil caiu de 140 dias para um a dois dias neste ano, após a implementação de medidas como o aumento de funcionários, de consulados e dos horários de trabalho nos postos.
LEGISLAÇÃO:

A US Travel Association aposta em uma proposta de lei tramitando no Senado americano para acelerar a inclusão do Brasil no programa de dispensa de vistos.
Hoje, os países precisam reduzir o percentual de candidatos à visto rejeitados para abaixo de 3% para conseguirem ser incluídos nos programas de dispensa de visto.
O Brasil tem taxa de rejeição de cerca de 3,8%. O projeto de lei Jolt Act, tramitando no Senado, aumenta esse índice para 10%.

A proposta é incluir países como Brasil, Chile, Polônia, Israel e Croácia no programa. Em 2008, o então presidente George W. Bush incluiu a República Tcheca, Estônia, Hungria, Letônia, Lituânia, Eslováquia e Coreia do Sul. Ao todo, 37 países estão hoje no programa.

RECIPROCIDADE:

“O governo brasileiro precisa intensificar suas gestões junto ao governo americano para entrar no programa de dispensa de vistos”, diz Patricia Rojas, vice-presidente de assuntos governamentais da US Travel Association.

“Hoje em dia, metade das viagens dos brasileiros para o exterior é para a União Europeia, que não exigem vistos. Nós queremos receber parte desses turistas, e eliminar o visto é a principal maneira”, diz Patricia.

Se os Estados Unidos dispensarem os brasileiros de visto, o governo do Brasil terá de oferecer reciprocidade, eliminando os vistos para os turistas americanos.

“Portanto, o programa também aumentaria o número de turistas americanos vindo para a Olimpíada e a Copa do Mundo”, afirma a representante da entidade.

O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem é um passo importante para o avanço do turismo nacional. Você sabe que requisitos um resort deve atender para solicitar as estrelas?

 

O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem (SBClass), uma parceria do Ministério do Turismo com o Inmetro, apresenta sete categorias que estão aptas a solicitar estrelas de acordo com os serviços proporcionados ao cliente. No caso de um resort, o empreendimento pode ter quatro ou cinco. É indispensável oferecer infraestrutura para lazer e entretenimento, como atividades físicas, recreação e convívio com a natureza.
Um resort com a marca quatro estrelas deve ter um mínimo de dois bares, duas piscinas, dois restaurantes (com cardápios diferentes) e seis serviços acessórios, como salão de beleza, serviço de babá, loja de conveniência, locação de automóveis e agência de turismo. Além disso, são necessários sala de ginástica e musculação, sauna e camas com colchões com dimensões superiores ao padrão nacional. Medidas permanentes de sensibilização para os hóspedes em relação à sustentabilidade e gerenciamento de resíduos sólidos também são obrigatórios.
Para obter cinco estrelas, os estabelecimentos devem ter manter as principais características e oferecer três piscinas, três bares e três restaurantes, um deles com cozinha regional ou típica. Os turistas também devem ter à disposição um mínimo de seis serviços acessórios. Atividades de revitalização e relaxamento, como pedras quentes e banhos aromáticos, são outras previstas na lista de requisitos.
 
O SBClass é uma parceria do Ministério do Turismo com o Inmetro e autoriza o uso de estrelas para sete tipos de empreendimentos: hotel, hotel fazenda, cama e café, resort, hotel histórico, pousada e flat/apart-hotel. Eles devem atender determinados requisitos para adquirir de uma a cinco estrelas, de acordo com as condições de infraestrutura, equipamentos, serviços oferecidos aos hóspedes e práticas de sustentabilidade.

O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem é um passo importante para o avanço do turismo nacional. Você sabe que requisitos um cama e café deve atender para solicitar as estrelas?

 

O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem – SBClass tem o intuito de orientar turistas e hoteleiros e valorizar os serviços oferecidos pelos empreendimentos em todo o país. São sete tipologias que podem solicitar o uso de estrelas, de acordo com condições de infraestrutura, equipamentos e serviços. Somam-se a esses critérios práticas sustentáveis, como o uso racional da água e de energia.
Uma das categorias é o cama e café, na qual o residente do estabelecimento, que deve estar disponível por telefone 24h, coloca o imóvel à disposição de turistas – em um número máximo de três quartos para este fim. A hospedagem pode ser classificada de uma a quatro estrelas e em todas elas é necessário oferecer café da manhã, serviços de limpeza e medidas permanentes de sustentabilidade.

Para garantir uma estrela o cama e café deve oferecer um desjejum considerado básico (café, leite, achocolatado em pó, chá, uma fruta, manteiga/margarina, pão, geleia, açúcar e adoçante), além de banheiro compartilhado e troca de roupas de cama e banho a cada três dias. Poderá obter a segunda estrela o estabelecimento que acrescentar um item opcional ao café da manhã.
A hospedagem de três estrelas passa a ter: troca de roupa de banho em dias alternados; banheiro privativo; sala de estar com televisão; mesa com cadeira em 100% dos quartos. Já o café da manhã básico ganha um suco e três itens opcionais.
Em um cama e café quatro estrelas o turistas deve encontrar cofre e televisão em todos os quartos. Na primeira refeição do dia, um suco e cinco itens opcionais devem ser servidos junto ao “pacote” básico. Além disso, o anfitrião precisa garantir serviço de lavanderia, acesso à internet nas áreas sociais e computador portátil com acesso à internet, mediante pedido.

O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem é um passo importante para o avanço do turismo nacional. Você sabe que requisitos um apart hotel, também chamado de flat, deve atender para solicitar as estrelas?
O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem – SBClass listou sete tipos de empreendimentos que podem solicitar o uso de estrelas, de acordo com condições de infraestrutura, equipamentos e serviços. Um deles é o apart hotel, também chamado de flat, que pode ser classificado de três a cinco estrelas.
Em geral, são empreendimentos imobiliários com conceito voltado para hóspedes que não dispõem de tempo para a rotina de uma casa – e sem a formalidade característica a um hotel tradicional.
Um apart hotel deve ter unidades habitacionais com dormitório, banheiro, sala e cozinha equipada. No edifício, administração e comercialização são integradas, com serviço de recepção, limpeza e arrumação. Segundo a Pesquisa de Serviços de Hospedagem, divulgada em abril pelo IBGE, são cerca de 15,1 mil quartos desta categoria nas regiões metropolitanas das capitais do país.
Poderá solicitar três estrelas o meio de hospedagem que oferecer serviço de recepção 24h, lavanderia, acesso à internet nas áreas sociais e café da manhã. Nos quartos, as roupas de cama devem ser trocadas em dias alternados e as roupas de banho, diariamente. As habitações devem contar com TVs com canais por assinatura e mini refrigeradores.
Para solicitar a quarta estrela os aparts hotéis devem disponibilizar room service, serviço à la carte no restaurante, bar, manobrista, sala de musculação e espaço para reuniões com equipamentos e climatização adequada em todos os quartos. Outras exigências são facilidades para bebês, tais como cadeiras altas no restaurante, aquecimento para mamadeiras e comidas.
A quinta estrela será obtida pelo estabelecimento que mantiver todos os requisitos e acrescentar um mínimo de três serviços acessórios, como por exemplo: salão de beleza, baby-sitter, venda de jornais e revistas, farmácia, loja de conveniência, locação de automóveis, reserva em espetáculos, agência de turismo. Além disso, é necessário colocar à disposição sauna seca ou a vapor, piscina, e camas com colchões com dimensões superiores ao padrão nacional.

Maksoud Plaza e Sheraton passam pela avaliação do Ministério do Turismo e recebem a classificação máxima no Sistema Brasileiro de Classificação dos Meios de Hospedagem.

 

O Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem (SBClass), uma parceria do Ministério do Turismo com o Inmetro, concluiu o processo de cadastro de dois novos hotéis em São Paulo. Após avaliação técnica, Maksoud Plaza Hotel e Sheraton São Paulo WTC Hotel receberam cinco estrelas na categoria hotel. As placas estão prontas para serem entregues aos estabelecimentos.
“Estamos otimistas com a repercussão na cadeia produtiva do novo Sistema Brasileiro de Classificação dos Meios de Hospedagem. Cada vez mais temos sido procurados por empresários interessados em participarem do processo que, com certeza, representará um ganho de competitividade para eles”, afirmou o ministro Gastão Vieira.
A classificação dos meios de hospedagem é voluntária, mas os estabelecimentos que optarem por não aderir ficam impossibilitados de usarem as estrelas como símbolo de qualidade.   
O sistema prevê sete categorias: hotel, resort, hotel fazenda, cama e café, hotel histórico, pousada e flat/apart. Há requisitos obrigatórios e outros eletivos.

Contato

Praça Mauá – 16A

Santos/SP – Brasil

13-9-97365637

Newsletter

©Turismo & Ideias – todos os direitos reservados.

Newsletter

Contato

Praça Mauá – 16A

Santos/SP – Brasil

13-9-97365637

©Turismo & Ideias – todos os direitos reservados.