Existem vários motivos para viajar….
Mas em todos eles é sempre bom contar com os serviços de um Turismólogo.
Só assim você garante: a melhor assistência, os melhores lugares e preços e a certeza de que a sua viagem será como você sempre sonhou!!!
Uma singela homenagem ao Dia do Turismo e a todos os Profissionais que fazem o possível e às vezes até o impossível para garantir toda segurança na sua viagem.





Turismo & ideias Viagens
Blog Turismo & Ideias
Selma Cabral   

O Turismo religioso, tem como motivação fundamental a fé. Está  profundamente  ligado ao calendário e acontecimentos religiosos das localidades receptoras dos fluxos turísticos. É comum chamar-se peregrinação cada viagem de turismo religioso.
A busca espiritual e a prática religiosa,  não se restringe às quatros paredes de igrejas, templos e santuários e aquece o setor que a cada ano ganha novos adeptos e novos destinos, o que contribui para o incremento da economia de pequenos municípios, localizados em sua maioria no interior do Brasil.
O aumento da renda dos brasileiros, do trabalho formal e do acesso ao crédito tem sido essencial para que essa tendência de expansão do segmento de turismo religioso se mantenha.
A seguir os principais destinos no Brasil:
Aparecida do Norte:   
Os números no maior santuário mariano do mundo surpreendem até os mais céticos. A área total desse complexo católico, localizado entre São Paulo e o Rio, é de 400 mil metros quadrados e já chegou a receber 231 mil visitantes em um único dia. No local, uma homenagem à padroeira do Brasil, o visitante encontra uma excelente estrutura com diversas salas dedicadas a passagens religiosas; um shopping com 684 lojas; e áreas de entretenimento, como parque de diversão e aquário.

Nova Trento:

Essa pequena cidade a 75 quilômetros de Florianópolis tem como principal atrativo turístico e religioso o Santuário de Madre Paulina, santa canonizada em 2002. Inaugurado em 2006, o santuário une religião e ecoturismo em uma área natural com trilhas, cascatas, lagoas e jardins. 


Fazenda Nova (Nova Jerusalém):

Há mais de 40 anos, a cidade-teatro Nova Jerusalém conta a história dos últimos dias de Jesus com encenações que duram oito dias e envolvem quase mil profissionais entre atores e equipe técnica no maior teatro a céu aberto do mundo. A área de 100 mil metros quadrados, a 180 quilômetros de Recife localiza-se em uma paisagem árida do sertão nordestino que remete à distante Judéia. 

Belém:

A capital paraense é palco de uma das maiores procissões do mundo, o Círio de Nazaré. O encontro religioso, que ocorre no segundo domingo de outubro, é uma homenagem à mãe de Jesus e atrai mais de 2 milhões de romeiros que acompanham a imagem da Virgem de Nazaré no trecho de 3,6 quilômetros entre a Catedral Metropolitana da cidade e a Praça Santuário de Nazaré. A corda do Círio, o simbólico elo entre os fiéis e a Santa, é a ‘atração’ mais disputada da caminhada.




Juazeiro do Norte:

No Vale do Cariri, uma extensa área que engloba o Ceará, a Paraíba e o Pernambuco, encontra-se esse centro religioso que guarda a imagem de um dos principais mitos para o povo nordestino: padre Cícero, mais conhecido como ‘padim ciço”. Localizado a quase 600 quilômetros de Fortaleza, Juazeiro do Norte recebe fiéis, a partir de 30 de outubro, que saem em romarias que duram quatro dias. 


Bom Jesus da Lapa:
As principais romarias ao Santuário do Bom Jesus da Lapa estão programadas, geralmente, para acontecer a partir do mês de julho, mas essa cidade baiana a 777 quilômetros de Salvador recebe fiéis durante todo o ano. Grutas para oração e a Sala dos Milagres são os destaques desse local sagrado com mais de 300 anos de história.


Salvador:

Na cidade das 365 igrejas católicas, o que predomina é a cultura negra do candomblé. O sincretismo religioso da capital baiana se materializa em festas tradicionais como a Lavagem do Bonfim e a Festa de Iemanjá, na Praia do Rio Vermelho. 


Pirapora do Bom Jesus:

Essa cidade localizada a apenas 54 quilômetros da Capital Paulista conta com um extenso calendário de romarias durante 11 meses por ano, uma vez que recebe a visita de romeiros de várias cidades da região do Médio-Tietê. Mas a atração mais esperada são os tapetes coloridos que enfeitam as ruas do centro histórico durante as comemorações de Corpus Christi.


Cidades Históricas Mineiras:

A Estrada Real, a principal via de acesso, desde o século 17, entre Ouro Preto e o litoral, cruza cidades mineiras ricas em detalhes históricos. De Ouro Preto a Tiradentes, passando por Mariana e São João Del Rey, o turista ‘fiel’ encontra construções religiosas barrocas e casarões coloniais.



Paranaguá:

A parada final do trem que sai de Curitiba é a cidade que sedia o Santuário de Nossa Senhora do Rocio e vem investindo para receber fiéis não apenas no período da Festa do Rocío, em novembro.  bosque.




Dá pra conhecer um por ano, depende do tempo livre de cada um. São lugares lindíssimos e acredite, a gente sente uma paz imensa.

Boa viagem!
Essa matéria foi vinculada no Jornal Tema de Setembro – página 04.

Novo sistema é uma parceria do Ministério do Turismo com o Inmetro, responsável pela avaliação nos meios de hospedagem:



Os 19 primeiros hotéis certificados pelo Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem (SBClass), implantado no ano passado pelo  Ministério do Turismo, receberão suas placas de identificação na próxima terça-feira (25), às 10h, em evento que será realizado em Brasília. Os estabelecimentos certificados passam a utilizar a “marca” estrela, que agora é exclusiva do governo federal.

O SBClass classifica sete tipos de meios de hospedagem: hotel, flat, resort, hotel fazenda, hotel histórico, pousada e cama&café. Cada um é identificado com estrelas, de uma a cinco, de acordo com a infraestrutura, equipamentos e serviços oferecidos aos hóspedes. 

A cerimônia acontece no Brasilia Palace, primeiro hotel da capital federal. Participam do encontro o ministro do Turismo, Gastão Vieira, representantes do Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro), dos hotéis classificados e das entidades do setor hoteleiro, além de outros convidados.

Ainda dá tempo….

Entes públicos têm até quinta-feira (27) para inscrever seus projetos

 O Ministério do Turismo prorrogou até quinta-feira (27) o prazo de inscrição para a chamada pública que vai selecionar projetos de eventos visando o fortalecimento do turismo. As inscrições se encerrariam no domingo (23), mas foram prorrogadas a pedido de vários entes públicos dos estados e municípios. Elas devem ser feitas no Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse do governo federal (Siconv). 

Serão selecionados 35 projetos. Eles receberão apoio financeiro de R$ 7 milhões do MTur, sendo o mínimo de R$ 100 mil e o máximo de R$ 400 mil. Para participar do processo de seleção, os eventos devem observar os seguintes critérios: ser realizado entre 1º de dezembro de 2012 e 17 de fevereiro de 2013 – com pelo menos uma ação prevista no plano de trabalho executada no exercício de 2012; ter tido três edições anteriores; comprovar potencial para a geração de fluxo turístico, entre outros.

Até a manhã desta segunda-feira (24), O Mtur recebeu 154 projetos. Outros 223 foram cadastrados, faltando ainda aos entes públicos enviarem os projetos para análise. Com a chamada pública, o MTur pretende estimular a promoção dos destinos, o desenvolvimento dos segmentos turísticos e o aumento da movimentação de fluxos regionais, nacionais ou internacionais de turistas no Brasil. Para saber mais, clique aqui.

Por todo o país existem lugares especiais que nos remetem à Independência do Brasil. Arrume um espaço na agenda e escolha o destino!


Uma das maiores metrópoles da América Latina, São Paulo (SP) também oferece aos turistas oportunidades para conhecer e aproveitar belos lugares que marcam um grande acontecimento de nossa história: a Independência.
O primeiro local a ser visitado pode ser o Museu Paulista, conhecido também como Museu Ipiranga. O espaço foi idealizado e inaugurado em 1895 para ser um monumento em homenagem à data. O acervo é essencialmente histórico e reúnedocumentos e objetos do período de 1850 a 1950. Também há duas ruas no bairro do Ipiranga que homenageiam membros da Guarda de Honra que estavam junto a D. Pedro I na hora da Proclamação da Independência: a Rua Antonio Marcondes e a Rua Correia Salgado.

Outro importante local é o Solar da Marquesa de Santos. A casa fica próxima ao Pátio do Colégio, marco central da cidade de São Paulo. Foi lá que Domitília de Castro Canto e Melo, a Marquesa de Santos, se encontrava com o seu amante, o imperador D. Pedro I.  


Outro roteiro imperdível são os Caminhos da Corte no Vale Histórico. Quem conhece não hesita em afirmar: perder a hora curtindo o passeio é como entrar na História do Brasil, aprendendo sobre arquitetura, culinária, folclore. A região fica na Mata Atlântica e oferece montanhas, campo nativo, nascentes e cachoeiras que passam pelos municípios de Arapei, Areias, Bananal, Queluz, São José do Barreiro e Silveiras. Você pode encontrar mais informações no endereço eletrônicowww.caminhosdacorte.com.br.

No acumulado do ano também houve aumento em relação a 2011:

Os desembarques de voos nacionais cresceram 6,96% em agosto, em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 6,8 milhões de descidas no último mês. A movimentação de 7,29 milhões de passageiros nos aeroportos de todo o país representa recorde da série histórica para os meses de agosto.

No acumulado de janeiro a agosto, houve aumento de 8,51% na comparação com 2011. A marca foi de 56,7 milhões de desembarques de voos regulares e não regulares em todo o país, contra 52,27 milhões no ano anterior.

“Estamos registrando recordes históricos a cada mês. É a confirmação de que o mercado doméstico continua aquecido mesmo fora dos períodos de férias”, afirma o ministro do Turismo, Gastão Vieira.  
Os desembarques domésticos e internacionais são apurados nos 62 aeroportos administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

Além de ser o mês do meu aniversário, a chegada da primavera, é perfeito para admirarmos a natureza e toda sua exuberância….


Em nosso país temos a vantagem de desfrutar de um dos mais ricos ecossistemas do mundo, e os vários atrativos existentes fazem com que seja uma missão quase impossível escolher um  um roteiro de viagem e e aproveitar tudo que a natureza nos oferece e de graça…..E nem sempre cuidamos dela como precisa…

Mas de norte a sul do país, existem lugares maravilhosos para gente conhecer e relaxar e pra quem não pode viajar, faça um jardim, uma pequena floreira, um simples vaso e plante uma flor.


Cuide dela com carinho e acompanhe todo seu desenvolvimento, quando ela se abrir você sentir toda a felicidade que a beleza e o perfume das flores nos proporciona e custa tão pouco!!

Experimente … A sensação é simples e maravilhosa!


Esse foi o décimo destino a receber o projeto do Ministério do Turismo

A cidade de Petrópolis (RJ) recebeu na última semana a 10ª edição do workshop do projeto Talentos do Brasil Rural. O objetivo foi apresentar as potencialidades e deficiências do roteiro Caminhos do Brejal e construir um plano de ação para desenvolver a oferta turística local.
O diagnóstico apresentado durante o evento é resultado da visita in loco realizada por uma equipe técnica do MTur, em agosto deste ano, que levantou os pontos positivos e as fragilidades da região. Ele teve como base, também, as necessidades observadas pelos atores locais envolvidos com a atividade turística.
“A partir desse levantamento, foi construído um plano de ação para potencializar e diversificar a oferta turística da região”, explicou Ângela Inazaki, da Coordenação de Segmentação do MTur. Essas ações estão relacionadas à infraestrutura, serviços, atrativos, promoção e comercialização do circuito. Algumas delas estão previstas para serem executadas ainda em setembro.
“Ficamos bastante animados com os resultados apresentados. Saímos do workshop com mais vontade de trabalhar para melhorar o nosso roteiro”, afirmou Relindes Fonseca, presidente da Associação Sócio Educativa e de Turismo Eco-Rural do Circuito Caminhos do Brejal e integrante do grupo gestor formado para acompanhar a execução do plano de ação.
O trabalho do MTur para potencializar os roteiros turísticos brasileiros é importante para consolidar novos destinos e melhorar a competitividade entre eles, principalmente por conta da proximidade dos megaeventos esportivos. “Temos um futuro muito promissor. Para isso, o  MTur está sempre acompanhando, dando apoio e cobrando resultados”, disse Fonseca.
Projeto
O Talentos do Brasil Rural é uma parceria dos ministérios do Turismo e do Desenvolvimento Agrário com o Sebrae, e conta ainda com o apoio do Ministério do Meio Ambiente e da Agência de Cooperação Alemã GIZ.

A ação tem como objetivo inserir produtos e serviços da agricultura familiar no mercado turístico, agregando valor à oferta turística brasileira.
Antes do roteiro Caminhos do Brejal, o projeto passou pelos Circuitos Rural e Ecológico do Vale do Rio Preto, Serras de Minas, Caminhos Rurais da Mata Atlântica e Serras Rurais do Sul de Minas, em Minas Gerais; Vale dos Vinhedos, Caminhos de Pedra e Agroturismo, no Rio Grande do Sul; Trilha do Visgueiro, em Alagoas; e Caminhos da Roça, em São Paulo.

Jericoacoara tem charme de vilarejo, dunas acolhedoras, descanso e movimento
Arte UOL
Jericoacoara é um vilarejo especial no norte do Ceará que pára para ver o sol se pôr, no mar, em todas as tardes do ano. Moradores e turistas partem de várias ruas ao mesmo tempo, e o ritual se completa no alto da grande duna de areia. Pensando bem, ali o sol não se põe: ele se exibe, dá um show de cores e formas no céu.

Para a duna, antes de anoitecer, convergem os idiomas e sotaques distintos que fazem de Jericoacoara um dos pontosmais internacionais do litoral brasileiro. Ali se conhece quem acabou de chegar, para uma visita de poucos dias, e também os ex-viajantes que nunca mais foram embora. Um caminhoneiro sulista, uma fisioterapeuta européia, esportistas norte-americanos: eles estão lá, junto dos nativos, administrando pousadas e restaurantes.

Ainda sobre a duna, diante de capoeiristas fazendo piruetas na areia e do céu pintado de lilás, rosa e laranja, feito um quadro de Monet gigantesco que a noite logo vai esconder, são agendados passeios, encontros, festas, aulas de windsurfe e jogos de futebol. “A areia corre veloz, escova as pernas, chega até os olhos”, escreveu um italiano sobre o lugar. A vila pacata oferece descanso e também movimento.

Praias, lagoas e parque nacional

A 280 km de Fortaleza, a cidade de Jijoca de Jericoacoara é a porta de entrada para a vila de Jeri,escondida atrás das dunas. São necessários veículos com tração nas quatro rodas para chegar lá, no refúgio à beira-mar. Jijoca tem boa estrutura de pousadas e as águas azuis da Lagoa Paraíso, que enche nas temporadas de chuva, no primeiro semestre. Em período de seca, melhor tomar o caminho do mar, em Jeri, a 23 km de distância.

Não são praias comuns, dessas com quilômetros de guarda-sóis, quiosques e carrinhos de sorvete. Nada será trivial num lugar onde é possível aproveitar boa parte das férias de pés descalços, dia e noite, já que as ruas não têm calçamento: só areia fofa. O mesmo vento de qualidade excepcional (sobretudo no segundo semestre) que atrai windsurfistas e kitesurfistas do exterior pode tornar incômodo o banho de sol.

As praias de Jeri convidam a longas caminhadas pela manhã e no final da tarde. Até a Pedra Furada e Serrote, por exemplo, numa trilha sobre rochas, ou no sentido oposto, para os lados de Guriú e Tatajuba. Nas proximidades do meio-dia, o sol é forte demais.

A região foi descoberta para o turismo nos anos 80 e desde 2002 a área de 84 km² que engloba as principais atrações da região, suas praias, dunas, lagoas e restingas tem o status de Parque Nacional de Jericoacoara, administrado pelo Ibama. Em 1984, Jeri havia sido transformada em APA (Área de Proteção Ambiental), condição que contribuiu para a conservação de sua peculiar paisagem de caatinga e coqueiros nas beiradas do oceano.

Capoeira, redes e camas king-size

Incluído em pacotes para Fortaleza, o tempo curto de dois ou três dias de visita será sempre melhor do que nenhum dia em Jericoacoara. Mas basta considerar fatores como a dificuldade do acesso, a tristeza dos que partem e a decisão de morar ali de muitos forasteiros para concluir que o lugar merece um tempo mais distendido.

Quem aproveita as férias para se iniciar em esportes vai precisar de uma semana para ganhar segurança nas aulas de capoeira, windsurfe ou kitesurfe, em Jeri ou no Preá. Quatro ou cinco dias vão presentear o visitante com variações cromáticas do pôr-do-sol e ainda a maré alta ou baixa, que define as chances de mergulho a partir da grande duna. Uma semana é boa medida para dançar forró, reggae, samba, salsa, mambo e outros ritmos da noite de Jeri.

Mais dias num lugar desses, rico em panorama humano, permite acompanhar o intenso entra-e-sai, ver o êxtase dos recém-chegados, fazer amigos de distintas nacionalidades e ainda retornar aos restaurantes prediletos. A gastronomia de Jeri está ficando mais sofisticada, até para atender aos que podem se dar o luxo de aterrissar de helicóptero, num trajeto de hora e meia desde a capital cearense.

As dezenas de opções de hospedagem também aprimoraram o conforto. Foi-se o tempo em que todos os chuveiros eram frios. Agora existem terraços privativos, jardins ornamentais, jacuzzi, camas king-size, ar-condicionado, decoração com motivos étnicos. Mesmo as pousadas mais simples oferecemredes, café-da-manhã com granola na varanda e a sombra daqueles cajueiros que tornam doce todo o aroma em volta.

Trata-se de um vilarejo tão fora do comum que vale a pena planejar uma chegada em grande estilo, e não precisa ser de helicóptero. Desde Fortaleza, prefira o ônibus da noite, que em Jijoca passará o bastão e os passageiros para uma jardineira cruzar as dunas na madrugada. Na confusão dos contornos, os morros de areia iluminados pelas estrelas parecem se espichar, colados às nuvens do céu.

Faz calor, mas é como cruzar por imensas geleiras brancas, sacolejando com a trepidação. A visão dos jegues na estrada improvisada, tranqüilos, habituados ao ronco da jardineira interrompendo a ceia, lembra o visitante que aquela paisagem extraordinária está no Nordeste brasileiro.

Maria Martha Bruno
Do UOL, em Buenos Aires (Argentina)

“Vai para a Argentina. Vale a pena, tudo é mais barato. O real vale mais que o dobro do peso”. Certo? Mais ou menos. A indicação que muitos viajantes já deram para amigos e conhecidos fazia mais sentido há alguns anos, quando a inflação argentina não avançava tanto sobre os preços locais.

Segundo o governo, o índice anual em 2011 foi de 9,5%, mas os dados oficiais são constantemente questionados pela população e pela oposição. Ano passado, de acordo com pesquisas de consultorias divulgadas por parlamentares opositores, a inflação ficou em 22,8%.

Por isso, mesmo com R$ 1 valendo 2,3 pesos, de que adianta provar um dos sorvetes mais famosos do país, na rede Freddo, pagando 19 pesos (R$ 8,25) por um copinho? Ou ir a um show de tango acompanhado de um jantar (programa muito procurado por turistas na cidade) ao custo de 600 pesos (R$ 260,50)?

Entre janeiro e setembro deste ano, o preço de uma caixa de alfajores Havanna, com 12 unidades, subiu quase 20%, indo de R$ 25,2 para R$ 30. Um show de tango com jantar em San Telmo (no El Viejo Almacen) também ficou 20% mais caro, passando de R$ 216,50 para R$ 260,50 por pessoa.

No bairro de Villa Crespo, em uma das lojas da Calle Murillo, onde estão concentrados os estabelecimentos supostamente mais em conta para a compra de roupas, calçados e acessórios de couro, uma jaqueta básica masculina ou feminina que custava 780 pesos (R$ 338,90) no início do ano hoje vale 1.080 pesos (R$ 469,25), alta de 38,46%.

Uma caneca da personagem de quadrinhos Mafalda, vendida na Calle Florida, teve um salto de quase 50% e passou de R$ 6,50  para R$ 9,50.

Muitos preços já não parecem tão diferentes daqueles encontrados em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, onde o custo da diversão também não é baixo. Andar de táxi é outro item que já não vale mais tanto a pena como há algum tempo.

Em janeiro deste ano, a bandeirada diurna de 7,30 pesos (R$ 3,17) era convidativa para quem se cansava de andar pelas quadras de Buenos Aires. Mas em julho houve um aumento de 12%, que elevou a tarifa para 8,20 pesos (R$ 3,56), e em outubro haverá um novo reajuste de 12%, para 9,10 pesos (R$ 3,95), quase o mesmo que os R$ 4,10 da bandeirada na capital paulista, mas ainda abaixo dos R$ 4,70 cobrados no Rio.

Casal de turistas agora só leva “lembrancinhas” por causa dos preços

  • Maria Martha Bruno/UOL
    Henrique Pacheco e Eline Mello levam só lembrancinhas de Buenos Aires
Henrique Pacheco e Eline Mello levam só lembrancinhas de Buenos Aires
Pela segunda vez na cidade, o casal de cariocas Henrique Pacheco e Eline Mello conseguiu perceber nitidamente a mudança. O analista de sistemas e a administradora conheceram Buenos Aires em 2009, quando aproveitaram para comprar artigos esportivos, já que ambos participam de corridas e maratonas.

Se na época levaram tênis e relógios para casa, desta vez estão voltando quase que de mãos vazias. “Só compramos ‘lembrancinhas’”, diz Eline, com uma miniatura do Obelisco, um dos principais pontos turísticos de Buenos Aires, nas mãos.

“A comida está mais cara que no Rio, que já é uma cidade cara. Até mesmo nas redes de fast-food. Íamos ao McDonald’s, mas entramos e saímos. Uma caixa com seis nuggets custa 38 pesos, ou seja, uns R$ 16! No Rio, uma caixa com dez custa R$ 9.”

O empresário Luis Miguel Valados e a pedagoga Cleide Derenze, que visitaram a cidade pela primeira vez, tiveram a mesma surpresa. O casal paulista provou algumas das delícias argentinas, como os alfajores Havanna (o mais popular entre brasileiros), mas se assustaram nos restaurantes locais: “Achamos a comida e o vinho baratos, mas outras bebidas são um absurdo. Suco, água, refrigerante e chopp são caríssimos. Tínhamos encomendas para levar artigos de couro, mas não compramos”, afirma Cleide.

Contato

Praça Mauá – 16A

Santos/SP – Brasil

13-9-97365637

Newsletter

©Turismo & Ideias – todos os direitos reservados.

Newsletter

Contato

Praça Mauá – 16A

Santos/SP – Brasil

13-9-97365637

©Turismo & Ideias – todos os direitos reservados.